O deputado estadual Anísio Maia (PT), repercutiu na manhã desta terça-feira (14) a marcha de movimentos sociais que há quatro dias caminham rumo a Brasília em defesa da candidatura do presidente Lula e pelo reestabelecimento da democracia no Brasil. “O mundo inteiro já sabe que Lula é um prisioneiro político, condenado sem provas e está preso porque lidera as pesquisas. Retirar Lula das eleições é retirar do povo o direito de escolha. Mas, quem disse que os golpistas se preocupam com a democracia?”, questionou Anísio.

Anisio Maia ressaltou o fato de que o próprio desembargador Gebran Neto do TRF-4 admitiu que ignorou a letra fria da lei para impedir Habeas Corpus a favor de Lula no último dia 8 de julho. “Nas próprias palavras do desembargador, a lei foi burlada. O que a Lava Jato faz é política. A lei no Brasil se transformou em um instrumento de perseguição política”, disparou o parlamentar.

Para o petista não há mais dúvidas de que setores do aparato estatatal, sobretudo no Judiciário e Ministério Público Federal atuam às margens da lei buscando objetivos políticos. “Setores do Judiciário assumiram o papel do PSDB. A democracia agora é um empecílio para as forças do mercado e é por isso que agora temos prisões sem provas, grampos ilegais e justiça seletiva.”

Anísio Maia concluiu defendo a necessidade da candidatura do presidente Lula para a legitimidade do processo eleitoral: “A destituição de Dilma, a prisão de Lula, a retirada de direitos, e desmantelamento das políticas sociais, tudo isso faz parte de uma só processo. Precisamos restabelecer a democracia. Se estivéssemos em outro contextos, nem mesmo a liberdade do legislativo seria poupada. Por isso, vamos registrar a candidatura de Lula é fundamental. Se houvesse qualquer prova contra Lula ele não seria candidato. Não queremos impunidade, queremos democracia.”