Para Anísio Maia, população precisa cobrar propostas dos candidatos

Imagem de Destaque do post
  • Reduzir Fonte
  • Aumentar Fonte
  • Imprimir

O deputado estadual Anísio Maia (PT) lamentou em entrevista nesta quarta-feira (28) que algumas das articulações políticas para a formação de coligações ao próximo pleito eleitoral não estejam priorizando a discussão de projetos. “Quais as propostas para solucionar os problemas enfrentados pela população? Muitas vezes o que vemos é a junção de interesses particulares, preocupados em ganhar as eleições, sem nenhuma identidade programática”, destacou.

Aos jornalistas Aline Guedes e Yuri Queiroga no programa Band News Manaíra 2ª edição, o petista afirmou que apenas a mobilização popular pode produzir cenários positivos nas eleições 2018: “Sem a mobilização popular teremos ainda mais retrocessos. Já tivemos mobilizações negativas, promovidas pela grande imprensa, e que resultaram no golpe contra a presidenta Dilma em 2016. Sob o pretexto de lutar contra a corrupção, milhões de pessoas foram às ruas e ajudaram a colocar um governo corrupto no poder, que retira os direitos dos trabalhadores. Precisamos agora que a organização popular ocupe as ruas em defesa da democracia e contra a retirada de direitos”. 

O parlamentar ainda acrescentou: “O povo sabe que lutar por democracia é também garantir o direito do Luis Inácio Lula da Silva ser candidato. Sabemos que ele está sendo alijado do processo eleitoral, condenado sem provas, porque foi o melhor presidente da história para os mais pobres. Querem prender Lula, mas, mesmo preso Lula ele será decisivo para as eleições e será libertado pela pressão popular.”

Para Anísio Maia o sistema eleitoral brasileiro está completamente degradado e a política está cada vez mais despolitizada e transformada em um grande comércio. Na ocasião, defendeu a realização de uma Constituinte exclusiva para aprovar uma nova legislação eleitoral, por entender que os atuais mandatários não terão a isenção suficiente para operar as mudanças que fortaleçam a democracia e a participação popular.

Comentar

By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.