INDICADORES DE CONFIANÇA NA ECONOMIA TÊM QUEDA GENERALIZADA

Imagem de Destaque do post
  • Reduzir Fonte
  • Aumentar Fonte
  • Imprimir

O consórcio gerencial Temer-Meirelles arrasou a confiança na economia; os seis indicadores de confiança da Fundação Getúlio Vargas (FGV) tiveram queda acentuada e ratificaram o cenário de estragos causados pelo caos de Pedro Parente e sua política de preços de combustíveis, que levou o país a parar por mais de uma semana diante de uma greve de caminhoneiros; o mais grave neste momento, segundo relatório da FGV, é que a confiança evaporou em todos os níveis

247 - Os seis indicadores de confiança da Fundação Getúlio Vargas (FGV) tiveram queda acentuada e ratificam o cenário de estragos causados pelo caos de Pedro Parente e sua política de preços de combustíveis, que levou o país a parar por mais de uma semana diante de uma greve de caminhoneiros. O mais grave neste momento, segundo relatório da FGV, é que a confiança evaporou em todos os níveis.

“Os índices ensaiaram uma melhora que parecia consistente entre o fim do ano passado e o começo de 2018, mas voltaram a cair entre março e abril, semeando dúvidas sobre a real extensão da retomada econômica, que até então se acreditava mais vigorosa.

O quadro geral, diz Aloisio Campelo, superintendente de estatísticas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, indica um misto de desconforto com o presente e desconfiança com relação aos próximos meses em setores que representam cerca de 70% do PIB (Produto Interno Bruto).”

Brasil 247

Comentar