60 deputados incorporam “Lula” ao nome parlamentar

Imagem de Destaque do post
  • Reduzir Fonte
  • Aumentar Fonte
  • Imprimir

Em protesto contra a prisão arbitrária do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, integrantes da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara decidiram adotar, a partir de hoje (10), palavra “ Lula” no nome parlamentar oficial. Assim, todos os deputados e deputadas do PT aparecerão no painel de votação com o nome do ex-presidente incluído. Quando forem chamados a fazer pronunciamentos na tribuna, o nome Lula também deverá ser mencionado pelo parlamentar que estiver presidindo a sessão. A Bancada tem 60 parlamentares.

A mudança, adotada a partir de sugestão do deputado Leo de Brito (PT-AC), é uma forma de solidarizar-se com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que desde sábado encontra-se preso em razão de uma perseguição judicial jamais vista na história do País. Conforme lembrou Leo de Brito, a condenação de Lula pelo juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal no Paraná, contraria a Constituição, as garantias individuais e todos os procedimentos legais.

“Ao incorporarmos Lula em nossos nomes parlamentares, vamos contribuir para denunciar aos brasileiros e ao mundo a injustiça cometida contra Lula, que se tornou um preso político na semidemocracia que estamos vivendo. Nossa democracia está sim sendo ultrajada por procuradores e juízes que agem impunemente à margem da Constituição e das leis”, afirmou Leo de Brito.

Os ofícios para a mudança do nome parlamentar são encaminhados ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que os defere ou não.

Arbitrariedade

Leo de Brito observou que a bancada está se unindo a diferentes movimentos no Brasil e no exterior para multiplicar as denúncias de arbitrariedades de Moro e replicar também os ideais que sempre foram defendidos por Lula. Ele lembrou que no discurso histórico e emocionante no sábado (7), em São Bernardo do Campo (SP), antes de se apresentar à Polícia Federal, para cumprir a ordem de prisão política decretada arbitrariamente por Moro, Lula fez um chamado à militância para que leve adiante suas ideias e seus sonhos.

“Como Lula disse, quanto mais dias ficar na prisão, mais Lulas vão nascer no Brasil, seus sonhos continuarão em todos nós, na luta para a construção de um Brasil mais justo, desenvolvido e democrático”, lembrou Leo de Brito.

Em seu discurso, Lula fez questão de frisar que aqueles que estavam ali devem levar adiante suas ideias e continuar lutando em defesa da democracia e para que o Brasil volte a ser um País para todos. “Tem milhões e milhões de Lulas para andar por mim. Minhas ideias estarão na cabeça de cada um de vocês. Meu coração baterá no coração de vocês. A morte de um combatente não para uma revolução”, declarou.

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), disse que a Bancada do PT – a maior da Câmara – está unida em torno da campanha “Lula Livre”, para a libertação imediata do presidente mais popular da história do Brasil e que, nos seus dois mandatos, entre 2003 e 2010, transformou radical e positivamente o Brasil, tirando da miséria mais de 40 milhões de brasileiros. Com Lula, a economia brasileira saiu do 12º para o 6º lugar no ranking mundial. Entre 2003 e 2006, fez a economia crescer, em média, 3,5% ao ano; no segundo mandato, a média foi de 4.5%.

Diário do Centro do Mundo

Comentar

By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.