“O Forró deve se tornar patrimônio imaterial”, defende Anísio Maia

Imagem de Destaque do post
  • Reduzir Fonte
  • Aumentar Fonte
  • Imprimir

O deputado estadual Anísio Maia (PT) destacou, em discurso na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (22), a realização do I Encontro Nacional de Forrozeiros que acontece em João Pessoa desde o último dia 20, e que se encerra hoje na Fundação Espaço Cultural José Lins do Rego (Funesc) com a presença de artistas e sanfoneiros de todo o país. O parlamentar ressaltou que durante o evento, também foi realizada audiência pública do Senado Federal, presidida pela senadora Fátima Bezerra (PT-RN), com o objetivo de discutir o tombamento do Forró como patrimônio imaterial do país.

“O Forró deve se tornar patrimônio cultural imaterial do país. Assim, será possível a adoção de uma série de medidas que fortaleçam esta expressão autêntica da cultura nordestina que vem pouco a pouco sofrendo uma influência desleal da indústria cultural, a exemplo do que ocorre com o São João de Campina Grande”, afirmou Anísio Maia, que disse ainda: “O Forró autêntico vem perdendo espaços a cada ano para ritmos que nada têm a ver com nossa cultura, mas, que tem a ver com os negócios e interesses de grandes produtoras”.

Podem ser considerados patrimônios culturais imateriais práticas, representações, expressões, técnicas e conhecimentos que são transmitidos de geração em geração, criando um sentimento de pertença, identidade e continuidade, na relação da comunidade com seu meio.  No Brasil, existem ao todo 38 manifestações culturais que são reconhecidas como patrimônio imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Entre os patrimônios imateriais brasileiros, cinco são inscritos na Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, são eles: a Roda de Capoeira; o Frevo; o Samba de Roda; o Círio de Nazaré e Arte Kusiwa, arte gráfica e pintura corporal que expressa o modo particular dos povos indígenas Wajãpi, no Amapá, de conhecer e agir sobre o universo.

O I Encontro Nacional de Forrozeiros é uma realização do Fórum Forró de Raiz, coordenado pela senhora Joana Alves. “Dona Joana e o Fórum Forró de Raiz merecem nosso votos de aplausos. Na Paraíba, infelizmente, a maioria dos prefeitos não dão a devida importância para a valorização do Forró de Raiz. A cultura tem um papel importantíssimo, não apenas como elemento integrador, mas, também como indutor de desenvolvimento, na medida em que movimenta recursos e gera empregos para além dos festejos juninos. Porém, o mais importante é que estamos defendendo a nossa identidade”, concluiu Anísio Maia.

Comentar

By submitting this form, you accept the Mollom privacy policy.